dezembro 03, 2009

PÉ EM DEUS E FÉ NA GRANA

Tenho, sim, ojeriza a tudo que é metafísico. A tudo que é relacionado a “espírito”, “fé”, “religião”. Não sou daqueles que pensam que religião é o ópio do povo: acho que religião é muito mais que isso, é uma das invenções humanas mais perversas e inúteis. Gasta-se um tempo imenso em tentar adular aos deuses (estejam eles no plural ou no singular, o sentido é o mesmo) e deixa-se de viver outro tanto. Graças à religião, graças ao culto aos deuses, a humanidade tem construído e pregado aberrações, como a exclusão de pessoas, tribos, grupos, nações inteiras, somente por não terem a mesma fé. Guerras e preconceitos, chacinas e ódios sempre foram estimulados sutilmente por todas as crenças deístas. Pregam o amor, mas instilam o ódio. Porque são excludentes, por princípio, já que o deus a quem devotam sua fé somente salvará os que o seguem.

Nem por isso, por meu ateísmo, vou defender a extinção pura e simples dos religiosos, como esses costumam tentar fazer uns com os outros, quando têm o poder para isso, como a igreja perseguiu judeus e bruxas durante a inquisição. E não só os perseguiu, mas torturou e matou a quantos se opunham a seus princípios. E hoje fazem o mesmo os seguidores do Corão, em relação aos demais povos. E continuarão fazendo, enquanto acreditarem que seu deus é o único e precisa de sangue humano para continuar a existir no imaginário da humanidade. Não, não vou defender nem mesmo a união de ateus contra o estigma e a estupidez da crença deísta. Porque não acho que se possa substituir uma barbárie pela outra, e é isso que sempre faz o homem quando de posse de um conhecimento ou de uma crença que ele julga absoluta. E o ateísmo não é nem pode ser considerado uma crença: ateísmo não é o contrário de crença; ateísmo é a ausência da crença em deus ou em deuses, por absoluta desnecessidade de cultuá-los. E os ateus não são bons nem maus, são apenas homens que não precisam de metafísicas.

Mas, não posso concordar, em nome de uma pretensa liberdade de culto, que as pessoas não paguem por sua fé. Dar isenção fiscal a igrejas, templos ou quaisquer outros lugares de culto, como sinal de liberdade, é aberração. Se as pessoas querem seguir um culto e pagar por ele, que o façam dentro da lei, como todos os demais: paguem também os impostos devidos!

A Constituição Brasileira deu isenção fiscal às igrejas e cultos, mas esse dispositivo entra em contradição e é absolutamente incongruente com o princípio da igualdade de todos perante a Lei.

E mais: ao dar isenção fiscal aos cultos, abriu a brecha para a existência de milhares de falcatruas, de falsos templos, de picaretas de todos os tipos, que se aproveitam do dispositivo constitucional para ludibriar a fé alheia, enriquecendo ou construindo verdadeiros impérios empresariais à custa de donativos e de dízimos cobrados dos pobres imbecis que buscam algum tipo de pretenso alívio de seus sofrimentos na pregação absurda de falsos pastores e bispos que só querem, mesmo, o seu próprio bem estar.

Repito: que haja liberdade de culto (e também liberdade para pessoas como eu que falam contra a idéia de deus), mas que os crentes registrem suas doações e as igrejas paguem todos os impostos devidos, como todos o fazem.

Conceder privilégios a quem quer que seja não é democrático, não é republicano, não é lógico. Mas, estamos todos atados pelo lobby da fé, que inseriu os dispositivos legais e os mantém.

Para ilustrar minhas palavras, reproduzo o texto abaixo, publicado na Folha de São Paulo em 2 de dezembro de 2009, com uma ressalva: esses picaretas não têm exatamente o “respaldo do governo” – têm o respaldo de qualquer governo, porque, enquanto não se mudar a Constituição, nada se pode fazer:


Piratas da fé

FERNANDO DE BARROS E SILVA


É muito fácil fundar uma igreja no Brasil. No último domingo, esta Folha publicou reportagem em que relatava como três de seus profissionais criaram a Igreja Heliocêntrica do Sagrado EvangÉlio, com custo de R$ 418.

Ninguém seja maluco de participar de igreja de jornalista, mas, ironias à parte, com a sua nova doutrina, Hélio Schwartsman e seus dois "bispos" puderam fazer operações financeiras isentas de IR e IOF.

Pela lei, como qualquer outra, a Igreja Heliocêntrica está dispensada de pagar IPTU (imóveis urbanos), ITR (imóveis rurais), IPVA (veículos) e ISS (serviços). A Constituição concedeu imunidade tributária às igrejas como forma de proteger a liberdade de culto. Na prática, esse princípio vem sendo sistematicamente desvirtuado.

Um dos efeitos históricos dessa distorção, para falar do que importa, foi a consolidação de um novo grupo de milionários da fé, basicamente composto por pastores-empresários e pastores-políticos. Eles se valem do dinheiro obtido por meio da religião (o dízimo, não tributado) para alavancar atividades mercantis que deveriam estar sujeitas ao recolhimento de impostos.Não há como decidir por princípio se uma igreja é "séria" ou "vigarista". Aos olhos do fiel, a sua igreja será sempre legítima. Para um ateu, todas têm o dom de iludir.

A questão aqui é outra: o pastor pode pregar para (ou enganar) seus fiéis à vontade; só não pode é usar a Bíblia para ludibriar a Constituição. Igrejas não podem ser biombo de práticas comerciais nem a fé pode ser pretexto para atos ilícitos.

Quando alguém extrai lucro de um estacionamento ao lado de um templo e não paga IPTU por isso, temos aí um pequeno delito. Quando o dinheiro dos fiéis está na origem de um conglomerado empresarial que tem como joia da coroa uma TV (concessão pública) avaliada em R$ 2 bilhões, então o problema é bem mais sério. E pior fica quando esses piratas do Senhor se tornam figuras respeitáveis da República com o respaldo do governo.

2 comentários:

Tatiana Carlotti disse...

Isaias vi um documentário ontem que vc iria gostar pelo visto. Chama-se Religulous, não deixe de ver! Beijo, Tati

suelen.18 disse...

è realmente esses falsos pastores utilizam o nome de Deus para encherem seus bolsos,li um livro "A Ordem é Amém", que relata a história de um falso pastor que tem sua vida transformada por Deus, é um livro muito surpreendente e emocionante, leiam vcs vão gostar eu o encontrei no site:www.seteseveneditora.com.br